O desmembramento da voz da esquerda

kontrakapa

Desde o século XIX, a esquerda assumiu a prerrogativa de falar em nome de todo oprimido. Localizada de um patamar superior e privilegiado, considerava-se que a perspectiva esquerdista era capaz de diagnosticar os obstáculos que impediam a emancipação dos grupos oprimidos e de elaborar o projeto utópico de uma sociedade mais justa e mais igualitária. Em nome da emancipação de toda e qualquer opressão, a esquerda havia reduzido as lutas e as histórias singulares dos grupos oprimidos a um projeto universalista e universalizante.

Depois da II Guerra Mundial, principalmente a partir da década de 1970, observamos que, apesar de parte dos intelectuais de esquerda ainda falar em nome de todo e qualquer oprimido, diferentes grupos sociais, como as mulheres, os negros e os homossexuais, cansados de esperar que a esquerda tradicional atendesse seus interesses mais imediatos, conquistaram as vias públicas e se fizeram ouvir pelo restante da sociedade. As mulheres…

Ver o post original 208 mais palavras

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s